26 fevereiro 2015

Resenhando: Cai o pano - Agatha Christie


TÍTULO: CAI  O PANO
ISBN: 9788520923627
IDIOMA: PORTUGUÊS
ENCADERNAÇÃO: BROCHURA
FORMATO: 13,5 X 20
PÁGINAS: 217
ANO DE EDIÇÃO: 2009
EDIÇÃO:
EDITORA: NOVA FRONTEIRA
AUTOR: AGATHA CHRISTIE
TRADUTOR: CLARICE LISPECTOR
CLASSIFICAÇÃO:








SINOPSE:
 O Detetive Hercule Poirot, já aposentado, volta com seu amigo capitão Arthur Hastings ao cenário da primeira investigação em que trabalharam juntos: a mansão Styles, agora transformada em hotel.
Também hospedado na antiga propriedade está um misterioso assassino, responsável por cinco crimes sem relação aparente entre si.
O extraordinário talento de Poirot para desvendar o intricado processo de mentes criminosas o leva a crer que um sexto assassinato será cometido. Mas quem será a vitima?
Esta questão conduzirá o grande detetive belga no que pode ser o caso mais arriscado de sua carreira. E talvez o último.



RESENHA:
 Terceiro livro a ser lido do box de três volumes.
 Narrado por um narrador-personagem, o Mr. Hastings antigo amigo de Hercule Poirot. Depois de muito tempo que entrou na ativa, Poirot encontra-se agora aposentado apenas recapitulando o passado e atormentado pelas dores da idade. Como esperado dele e como ele próprio diz, o corpo envelhece mas a inteligência nunca. Certo dia Hanstings recebe uma carta de Poirot, que o convida para ir até o cenário do seu primeiro caso juntos, Hastings acaba aceitando pois já se passaram alguns meses sem ver Poirot, ao chegar no local encontra-se com o amigo numa cadeira de rodas devido a sua saúde debilitada, e acaba ficando surpreso ao saber que Poirot não foi ao hotel somente para passar as férias de aposentado, mas sim no encalço de um assassino.
 Cinco assassinatos sem conexão entre si, lugares diferentes, pessoas que não tem relação aparentemente umas com as outras. Mas Poirot como sempre, encontra o X da questão, o que acaba o levando de volta para Styles, a fim de impedir um sexto assassinato, que ele têm certeza que irá acontecer.
 Para isso solicita a ajuda do seu amigo de longa data, por não poder ter seus suspeitos sob supervisão, pois já não é mais tão ágil como fora um dia,  seus movimentos agora necessitam da ajuda do seu lacaio, Curtis. Agora hastings além de seu amigo, também se torna seus olhos e ouvidos.  Poirot conhecendo profundamente a alma de hastings e sabe que nele pode confiar, mas sabe que ele sempre deixa transparecer suas suspeitas. 
 Hastings não concorda, mas por via das dúvidas Poirot não pôde contar quem é o Assassino. Hastings será seus olhos, mas está totalmente no escuro, podendo contar somente com seus próprios poderes de dedução e investigação. 
No decorrer da histórias acabam ocorrendo mais duas mortes antes da chegada do fim do enredo. E por fim Poirot apresenta a solução, uma resolução inusitada, dois assassinatos e três mortos, como isso é possível?

Nenhum comentário:

Postar um comentário