27 setembro 2014

Shigueru Ban

Momento Informativo:

 

Shigueru Ban faz palestra em São Paulo

Arquiteto japonês, laureado com o Prêmio Pritzker 2014, falou sobre projetos e perspectivas de construções sustentáveis


O arquiteto japonês Shigeru Ban esteve em São Paulo no dia 23 de setembro para uma palestra no fórum “A cidade e a água”, promovido pelo Arq. Futuro, com o objetivo de propor discussões sobre o futuro das cidades.
Shigeru Ban foi laureado com o Prêmio Pritzker 2014, um dos principais reconhecimentos internacionais da arquitetura. Seu trabalho é conhecido pela complexidade de estruturas construídas a partir da simplicidade de formas e materiais.
Sempre com o intuito de apresentar o aproveitamento do espaço com bases sustentáveis e ecologicamente amigáveis, Ban disse na palestra que mais do que pensar na construção, é preciso ter em mente qual é o propósito do projeto e em qual será o destino do material (se o material poderá ser reaproveitado ou reciclado em casos de construções temporárias).
Em 2011, ele ajudou a projetar abrigos temporários nas regiões destruídas pelo grande terremoto seguido de tsunami que atingiu a região de Tohoku, no dia 11 de março. Um de seus trabalhos envolvia a construção de apartamentos a partir de contêineres (veja mais aqui).
Há vinte anos, o arquiteto dedica parte de seu trabalho a causas humanitárias e criou a ONG “Voluntary Architects’ Network” para trazer soluções imediatas em áreas atingidas por terremotos, furacões, tsunamis ou guerras.
Além de ajudar em soluções pós-desastres no Japão (Kobe, em 1995 e Tohoku, em 2011), o arquiteto também contribuiu com projetos em países como: Ruanda (com a construção de um campo de refugiados, em 1995), Itália (após o terremoto em 2011), China (após o terremoto de 2008), Haiti (após o terremoto de 2010), Nova Zelândia (após o terremoto de 2013).






Ban disse que os projetos sustentáveis são mais econômicos, mas existem algumas dificuldades no caminho que possivelmente desestimulam outros profissionais “às vezes os projetos precisam ser adaptados às normas de segurança do local e nem sempre o retorno financeiro parece interessante a um investidor”, explicou.
“Mas, como também preciso fazer dinheiro, faço outros projetos particulares”, brincou Ban durante a palestra. Entre seus projetos mais recentes estão o pavilhão temático para a Copa do Mundo, na Embaixada do Brasil em Tóquio e o Museu de Arte em Aspen.
Quando questionado sobre o novo projeto com o Ministério do Meio Ambiente do Brasil, Ban disse que ainda não pode divulgar muitos detalhes, mas explicou que usará material apreendido de ações de desmatamento ilegal. “A ideia é criar postos para incentivar a visitação turística para promover a região amazônica”, disse.



Nenhum comentário:

Postar um comentário