29 junho 2015

[Resenhando] [A Viagem do Peregrino da Alvorada] [C.S. Lewis]

TÍTULO: A VIAGEM DO PEREGRINO DA ALVORADA
SERIE: AS CRÔNICAS DE NÁRNIA
VOLUME: 05 
ISBN: 8533622104 
IDIOMA: PORTUGUÊS 
ENCADERNAÇÃO: BROCHURA 
GÊNERO: FANTASIA 
FORMATO: 15 X 23 
PÁGINAS: 235
ANO DE EDIÇÃO: 2005 
EDIÇÃO: 1ª 
EDITORA: MARTINS FONTES (LMFE) 
AUTOR: C.S. LEWIS 
TRADUTOR: PAULO MENDES CAMPOS 
CLASSIFICAÇÃO:



SINOPSE:
Lúcia e Edmundo, com seu odioso primo Eustáquio a tiracolo, embarcam numa incrível viagem de aventuras e descobertas, a bordo do imponente navio Peregrino da Alvorada. Rumo às Ilhas Solitárias, em busca dos sete amigos desaparecidos do pai do rei Cáspian, eles encontram um dragão, uma serpente do mar, um bando de criaturas invisíveis, um mágico e o próprio Aslam, o Grande Leão, que os presenteia com uma promessa muito especial.


RESENHA:

Quinto livro em ordem cronológica dos fatos, e  terceiro em ordem de publicação. Novamente somos levados a Nárnia através desse livro, dessa vez somos acompanhamos somente dois dos irmãos Pevensie,  que após serem sugados por uma pintura na casa de sua tia, Lucia e Edmundo retornam a Nárnia levando junto com eles seu primo Eustáquio, um garoto extremamente mimado e arrogante, que os maltrata por viverem de favor em sua casa. Ao chegarem em Nárnia são resgatados pelo navio Peregrino da Alvorada, onde estão a bordo Príncipe Caspian e Ripchip, além de outros passageiros que estão em uma viagem para realizar uma missão de busca, na tentativa de encontrar os sete fidalgos, amigos do Caspian X antigo rei de Nárnia, que foram exilados por Miraz, e condenados a vagar rumo ao esquecimento.

 Principie Caspian, agora atual rei de Nárnia, tem como principal objetivo, reencontrar os amigos do seu pai que a muito tempo não tem noticias. Essa viagem é cheia de aventura e imensos perigos. Em cada ponto que o navio faz uma parada, tem inicio uma nova aventura. Um dos pontos principais da história, é a busca pelas sete espadas pertencentes aos fidalgos.

O personagem Ripchip, que fez sua primeira aparição no livro Principie Caspian, dessa vez ganha um melhor destaque nessa trama e mostra-se fundamental na missão. Contando com mais ação do que o livro Principe Caspian, O Peregrino da Alvorada novamente nos prende a Nárnia, e podemos notar a evolução dos personagens, como Eustáquio que de um garoto arrogante e mimado, passa a demonstrar um coração bom e nobre, capaz de sacrifícios em prol dos outros, e ao final do livro vemos que ele tornou-se uma pessoa melhor. Assim como no livro Principie Caspian onde Pedro e Suzana aprenderam as lições de Nárnia, e não precisaram mais voltar a Nárnia, ocorre o mesmo com Lúcia e Edmundo que já estão crescidos assim como seus irmãos, aprenderam todas as lições de Nárnia e não precisarão mais retornar a Nárnia. Já Eustáquio ainda tem muito o que aprender e possivelmente retornará para mais aventuras em Nárnia.

 Esse livro é realmente repleto de lições, que incentivam os leitores a tornarem-se melhores, serem mais sensíveis aos problemas dos outros e não termos um olhar egoísta visando somente o eu na sociedade. É uma obra que com toda certeza é necessária sua leitura, e não tenho medo de dizer que é um dos meus livros favoritos de todos os sete que compõem as Crônicas de Nárnia.

A narrativa à qual somos apresentados nessa obra, mostra a excelência que o Lewis tem como escritor, ele mantém a história no ritmo certo, fazendo com que a história vá fluindo levemente na nossa mente, nos transportando para o universo repleto de magia que é Nárnia. Nesse livro somos apresentados a locais novos e conhecemos uma Nárnia mais sombria, um lado inédito onde pessoas sofrem com o medo do tráfico de pessoas, e são vitimas da fome e miséria impostas pelo reinado de Miraz. A cada ilha visitada novos desafios são revelados, e nossos heróis precisam ser corajosos se quiserem concluir a missão.


Nenhum comentário:

Postar um comentário